Performancing Metrics

Primeiros movimentos: ONTA 2018 / Arequipa, Peru

A ONTA (Organization of Nematologists of the Tropical America), uma das sociedades internacionais coirmãs mais próximas da SBN, está divulgando informes iniciais a respeito da organização do seu congresso/reunião de 2018, definida para se realizar na cidade peruana de Arequipa no período de 19 a 23 de agosto. A presidente da sociedade, Dra. Deborah Neher, vem de distribuir material aos sócios dando conta de trâmites preliminares já efetivados, como a coleta de sugestões oferecidas por eles sobre os temas básicos, ou preferenciais, a serem tratados durante o evento, que serão os seguintes: 1.) Mechanisms of soil suppressiveness; 2.) Taxonomy of Meloidogyne; 3.) Potato cyst nematodes; 4.) Education outreach in South America; 5.) Morphological identification of nematodes; and 6.) Molecular phylogenetics and diagnostics of nematodes. A ideia, por ora, é de que os itens 1 a 4 venham a constituir simpósios e os dois últimos sejam workshops, adequadamente alocados ao longo dos três dias centrais do evento. Após acertos realizados pela organização local, o congresso ficou definitivamente definido para se iniciar no domingo dia 19 de agosto e se encerrar na quinta, dia 23, com excursões turísticas (Machu Pichu …) previstas para a partir da sexta-feira, dia 24. Para conferir a circular distribuída com mais detalhes sobre o evento, clique na imagem acima.

 

LIVRO NOVO EM BREVE: Cyst Nematodes (CABI)

A empresa CABI está divulgando, em pré-lançamento, um novo livro nematológico intitulado “Cyst Nematodes”, organizado e editado pelos Drs. Roland Perry, Maurice Moens e John T. Jones. Com previsão de estar disponível em março de 2018, a nova publicação já tem folder incluindo suas características gerais e conteúdo científico, apresentado na forma de capítulos, o qual poderá ser consultado na íntegra clicando-se na imagem acima. 

Desconto de 20% está sendo oferecido nesta fase, a quem formalizar a pré-solicitação. Um novo e atualizado compêndio tratando de um dos grupos de fitonematoides mais prejudiciais à agricultura na Europa, Ásia e Américas do Norte e do Sul. Embora representado no momento por apenas uma espécie com real status de problema fitossanitário no Brasil, o nematoide de cisto da soja (Heterodera glycines), o grupo dos nematoides de cistos inclui outras formas que constituem claras ameaças ao agronegócio nacional, como são exemplos Globodera rostochiensis e G. pallida, parasitas altamente daninhos ao cultivo da batata já assinalados em países vizinhos ou com forte suspeição de ocorrência neles. Livro útil, com subsídios atuais e de evidente interesse para inclusão na biblioteca ou acervo dos nematologistas. A conferir!

Nematoides nas pautas de prestigiosos magazines

Os nematoides, com alguma predominância dos parasitas de plantas e entomopatogênicos, têm sido com grande frequência, nos últimos anos, pautados com destaque nos conteúdos de alguns dos principais magazines brasileiros voltados ao Agronegócio, ou à atividade agropecuária em geral, se preferirem. Sim, não bastassem as várias reportagens veiculadas na televisão sobre os problemas causados à agricultura por eles em diferentes regiões ou estados nacionais, têm sido alvos seguidamente de matérias na mídia impressa. Ao lado de revistas prestigiosas do gênero como Cultivar, Globo Rural e outras, recentemente foi a vez de a tradicional publicação A Granja pautar os nematoides como matéria de capa (ver foto), tendo o colega Dr. Carlos E. M. Otoboni (FATEC/Pompeia), membro de seu conselho editorial, chancelado o texto.

Outro exemplo da atual relevância dos nematoides foi dado pela Fundação Mato Grosso (Fundação MT), que há uma década edita seu festejado Boletim de Pesquisa, sempre com boas matérias. No seu volume relativo a 2017/2018, três tópicos foram dedicados aos Nematoides (Nematoides nos sistemas de produção de Mato Grosso; Soja Louca II: uma nova doença de soja no Brasil; e Nematoides associados a plantas daninhas), como ilustrado na imagem abaixo.

Como se verifica, não há exagero ou equívoco ao se afirmar que a Nematologia, no Brasil, nunca viveu período de tanta visibilidade e reconhecimento como o atual. Mas, como se diz, chegar ao topo ou próximo a ele não é o mais difícil; manter-se lá, sim ! É com os nematologistas, portanto, que fica tal desafio.