Performancing Metrics

Meloidogyne: mais trabalhos acadêmicos na UnB e UFPEL

Meloidogyne: diversidade de populações e reações de variedades de videira e soja são temas de trabalhos acadêmicos na UnB e UFPEL 

Três trabalhos acadêmicos, uma tese de doutorado, uma dissertação de mestrado e um trabalho de conclusão de curso, defendidos em 2011, trataram de temas atuais relativos ao gênero Meloidogyne. Lucia Somavilla, orientada por Cesar B. Gomes, Regina G. Carneiro e Andréa B. Moura, apresentou à UFPEL a tese “Levantamento, caracterização do nematoide das galhas em videira nos estados do Rio Grande do Sul e Santa Catarina e estudo da resistência de porta-enxertos a Meloidogyne spp.”. Marcilene Fernandes Almeida dos Santos, sob a supervisão de Cleber Furlanetto e Regina G. Carneiro, apresentou à UnB (ICB) sua dissertação intitulada “Diversidade de Meloidogyne incognita e espécies correlatas como sugerem abordagens morfológicas, biológicas, citológicas e moleculares”. Por fim, Danilo Furtado dos Santos graduou-se na UnB (FAV/Agronomia) com o T.C.C. “Reação de cultivares de soja a Meloidogyne morocciensis, conduzido sob a orientação de Jean Kleber A. Mattos e Regina G. Carneiro.

Ressalta nesses estudos a diversidade genética de populações/isolados de nematoides de galhas encontrados no Brasil. Marcilene Fernandes evidenciou o fato trabalhando com M. incognita. Danilo Furtado utilizou população de M. morocciensis (espécie confundida com M. arenaria no Brasil até a devida distinção por Carneiro et al. em Nematology, 10(6): 819-834, 2008) de Santa Rosa (RS) para avaliar as reações de importantes cultivares nacionais de soja, verificando predominância de alta suscetibilidade nestas. Por sinal que essa espécie, M. morocciensis, de assinalamento bem recente no País, foi também relatada na tese de Lúcia Somavilla em pomares de videira de outros municípios (Dom Pedrito, Caxias do Sul, Quaraí) do RS, evidenciando a sua dispersão local e, como M. enterolobii (sin. M. mayaguensis), passando a representar mais uma “dor de cabeça” e preocupação aos fitossanitaristas.

Você pode receber todas as mensagens assinando nosso RSS 2.0 feed. Você pode deixar uma resposta, ou voltar para a página principal.
Deixar uma resposta

XHTML: Você pode usar estas tags: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>

*