Performancing Metrics

Editora da Nematoda participa de congresso da ABEC

dolipedCaros sócios,
nesta semana, a SBN está fazendo mais um investimento em seu futuro: a Editora-Chefe de Nematoda, Profa. Claudia Dolinski (foto), está participando do congresso da ABEC em curso (http://www.abecbrasil.org.br/) em São Pedro (SP). Neste momento, alguém poderia achar estranho que ela precise de capacitação adicional para ser a Editora-Chefe … Pois precisa, como as dezenas de Editores que também estão participando dos mini-cursos, palestras, mesas-redondas e fóruns de discussão ora oferecidos no evento. Inúmeros temas estão sendo tratados, de recomendações básicas aos Editores e seus corpos editoriais a questões relativas às publicações “aberta” vs “fechada”, à sustentabilidade econômica dos periódicos, aos portais/ indexadores, ao jornalismo científico, ao marketing científico etc.
Para que a SBN participe das modificações da editoração científica mundial, e não apenas “corra atrás do prejuízo”, a Profa. Claudia, a Diretoria e todos os sócios da SBN, bem como os futuros autores de manuscritos, precisarão se adaptar ao novo cenário de publicação científica internacional.  Este novo cenário não está posto, mas está em transformação, na medida em que editoras, sociedades científicas, universidades, periódicos, editores, autores e demais atores do processo vem respondendo às mudanças adotadas pelos outros atores!! Como exemplo, o posicionamento de cientistas contra os imensos lucros das editoras científicas provocou modificações na política editorial das empresas (Springer, Elsevier etc.) e colocou novas atribuições e desafios para os editores e entidades públicas (universidades e sociedades científicas) para atender à demanda por “abertas”.  O aumento das publicações “abertas”, por sua vez, aumentou a demanda sobre o Scielo e outros indexadores públicos, o que mexeu com os interesses comerciais dos indexadores privados (WebofScience, Scopus etc), numa reação em cadeia que ainda está se desenvolvendo.
Neste momento, muitos nematologistas poderão exclamar que não ouviram nada deste “burburinho”, que nada mudou na forma como ele(a) planeja e conduz os seus trabalhos, que ele(a) continuará a escrever e publicar os seus artigos como sempre fez.  Não por muito tempo… Como sempre acontece no Brasil e em outros países em desenvolvimento, é apenas uma questão de tempo para que órgãos de fomento e de avaliação (Capes, CNPq etc) adotem, de maneira atabalhoada, novos critérios que nos pegarão de surpresa, em resposta às “novas” tendências que surgiram nos EUA e Europa anos antes.
Cabe a todos nós, cientistas brasileiros, em especial aos jovens estudantes de Mestrado e Doutorado, pensar a sua formação acadêmica visando a atuação como cientistas no futuro, indo além das limitações dos seus orientadores, muitos dos quais formados num cenário de 20-30 anos atrás… Aos orientadores, eu inclusive, cabe transferir o melhor da nossa formação e exigir mais avanços dos nossos alunos. Como simples exemplo pessoal, nesta semana avisei ao meu pós-doc que não mais pagarei com recursos de projeto de pesquisa a conta de R$ 1.500,00 para a tradução do português ao inglês de um manuscrito preparado por ele.  O próximo, ele terá que escrever em inglês, ou não irá publicar…
Para evitar gastos excessivos à SBN, somente a Profa. Claudia está participando do congresso da ABEC. De maneira “informal”, sem crachá, eu assisti apenas a palestra que se seguiu à abertura do evento. Nesta, a palestrante destacou a necessidade de os periódicos brasileiros se “profissionalizarem”, ou seja, o Editor deve ser remunerado, assim como cobrado; a editoria não pode ser mais um trabalho isolado, onde tudo recai sobre o Editor e, se ele não der conta do recado, as ações não vão além das usuais reclamações e fofocas. Há necessidade de as sociedades e universidades, que têm periódicos, investirem com planejamento, contratando ou pagando de maneira avulsa por serviços computacionais, de bibliotecários, de jornalistas científicos, dentre outros. Será necessário comparar tais investimentos com os ganhos de qualidade e penetração do periódico e dos seus artigos.  Enfim, desafios por demais interessantes para deixarmos passar!!
Um abraço a todos…
Ricardo M. Souza
Presidente da SBN 2013-2016

Você pode receber todas as mensagens assinando nosso RSS 2.0 feed. Você pode deixar uma resposta, ou voltar para a página principal.
Deixar uma resposta

XHTML: Você pode usar estas tags: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>

*