Performancing Metrics

Arquivos para a categoria »É nóis na tela «

Ditylenchus dipsaci: com ele é “bobeou-dançou”!

O chamado ‘nematoide dos caules e bulbos’, Ditylenchus dipsaci, foi primeiro relatado no Brasil no final da década de 1970, na região Sul. Causou grande preocupação durante vários anos e se tornou alvo de estudos por diversos nematologistas do País na ocasião, inclusive dissertações e teses. Com o passar do tempo, verificou-se que era prejudicial de fato quase somente à cultura do alho, com raros casos de infecção em cebola a campo. Por essa razão, tornou-se conhecido no Brasil, mais recentemente, como o “nematoide do alho”.

Os danos mais severos e perdas de expressão ficaram limitados aos estados de Santa Catarina e Rio Grande do Sul, adquirindo contorno de problema fitossanitário regional. Em matéria recente de TV, veio a notícia de danos e perdas significativos em plantações de alho no município de Rio Grande (RS), onde a cultivar Quitéria, bastante suscetível ao nematoide, é uma das mais utilizadas. Na reportagem, os sintomas da nematose no campo, diretos e reflexos, ficam muito evidentes e comentários sobre as possíveis medidas de controle são oferecidos por técnicos da Emater/RS e pelo colega Dr. Cesar Bauer Gomes, da Embrapa/Pelotas. Confira! É nóis na tela de novo! E os nematoides que não dão trégua aos agricultores. Até mesmo com espécies que parecem permanecer “adormecidas” por bons períodos no cenário fitossanitário, como D. dipsaci, é assim: bobeou, dançou!

 

34º CBN: se você participou, vai estar nestes vídeos !

Após termos acesso às muitas imagens registradas pela fotógrafa oficial do 34º CBNematologia/Vitória-ES, sumariamos as atividades lá ocorridas de 3 a 7 de julho em três vídeos. Num primeiro, está o resumo do que aconteceu nos dois primeiros dias (3 e 4), como abertura, coquetel, mesas redondas iniciais, sessão I de pôsteres, salas temáticas etc. Em outro, o Jantar de Confraternização e as Premiações aos estudantes. Por fim, o terceiro inclui tomadas feitas nas atividades gerais dos dias 5 e 6, além da viagem técnica ocorrida no dia 7. Se você esteve lá, vai se ver, com certeza. Se não pode ir a Vitória, aproveite para conferir, neste rescaldo final, tudo que rolou!



Vídeo da Embrapa/Soja: o agente causal da Soja Louca II

Por ocasião do 32º CBN, realizado em junho de 2015 em Londrina (PR), os colegas Drs. Luciany Favoreto (Epamig) e Maurício C. Meyer (Embrapa/Soja; na foto) tiveram oportunidade de anunciar a identificação de fitonematoide do gênero Aphelenchoides como agente causal do mal referido como Soja Louca II. Pouco depois, em setembro de 2015, o MAPA reconheceu a doença SLII como nova ameaça à sojicultura nacional, tendo Aphelenchoides como seu organismo causador. No caminho percorrido até a associação do nematoide com o mal,  muitos ensaios – laboratoriais, de casa de vegetação e no campo – foram conduzidos subsequentemente durante mais de uma década, que possibilitaram: i) adequada caracterização dos sintomas ocorrentes nas cultivares afetadas; ii) descarte de várias outras possíveis causas para a doença; iii) melhorias nos métodos utilizados visando, especificamente, à extração do nematoide das plantas atacadas. 

Essa trajetória de pesquisas foi sumariada e está bem apresentada pelo Dr. Meyer em vídeo produzido e divulgado pela Embrapa-Soja, na verdade uma aula ricamente ilustrada sobre o assunto, que prazerosamente compartilhamos com a comunidade nematológica através do site da SBN. Assista e aprenda!