Performancing Metrics

Arquivos para a categoria »Temas gerais «

O que é a eclosão ou endotoquia matricida em nematoides ?

A eclosão ou endotoquia matricida em nematoides

Quem estuda e vive a observar nematoides, ao estereoscópio ou microscópio pp. dito, já deve ter se deparado com o fenômeno da eclosão ou endotoquia matricida. Afinal, de quê estamos falando? Trata-se de ocorrência comum na natureza, já relatada em nematoides obtidos do solo (rabditídeos), entomopatogênicos (Heterorhabditis; Steinernema) e fitoparasitas (Anguina, Pratylenchus, Meloidogyne, Aphelenchoides e outros). Em resumo, trata-se de condição na qual ovos dão eclosão a juvenis ainda dentro dos úteros de fêmeas maduras, que passam então a migrar pelo interior dos corpos destas, onde se alimentam e desenvolvem. À medida que vão aumentando de tamanho, tais juvenis se tornam bem visíveis mediante exame com equipamentos ópticos. O conteúdo interno das fêmeas comumente é esgotado em sua maior parte, ficando elas quase transparentes; o número de juvenis no interior das fêmeas varia muito. Por fim, há a “saída da prole” ao ambiente externo, no geral por rompimento da cutícula. O vídeo acima ilustra essa curiosa ocorrência biológica.

Ótimo vídeo: nematoide de cisto e a resistência em soja

Ótimo vídeo: nematoide de cisto e a resistência em soja 

Da grande dificuldade em se conviver com o nematoide de cisto da soja todos sabem. As alternativas para manejo existem, mas uma das opções ideais – as cultivares resistentes – enfrenta problemas de perda de eficiência a curto e médio prazo por questões ligadas à pressão de seleção. No vídeo abaixo, produzido no estado de Indiana (EUA) e usando-se a técnica de filmagem ‘time-lapse’ ficam evidentes, com a evolução da safra, os efeitos danosos de Heterodera glycines não apenas sobre a cultivar suscetível (S) como sobre outras obtidas através de melhoramento a partir da PI-88788, a fonte de resistência ao nematoide usada mais comumente. Dor de cabeça garantida aos pesquisadores …

Dracunculose: a um passo da erradicação !

Dracunculose: a um passo da erradicação !

A dracunculose (= dracunculíase), mal causado ao homem pelo nematoide Dracunculus medinensis (‘the Guinea worm’), referido como serpente de fogo em passagens bíblicas, pode vir a se tornar a segunda enfermidade erradicada no planeta, sendo a primeira a varíola (‘smallpox’). Com cerca de 3,5 milhões de casos em pelo menos 20 diferentes países em 1986, a estimativa caiu para pouco mais de mil em 2011, restritos a quatro países africanos (Chade, Etiópia, Mali e, principalmente, Sudão). Hoje, os casos são bem esporádicos e persistem apenas no Sul do Sudão. Foi uma ampla e intensiva campanha de esclarecimento, em boa parte subvencionada pelo Carter Centre (organismo criado pelo ex-presidente dos Estados Unidos, Jimmy Carter), que possibilitou tal exitosa missão. A notável redução no número de casos deveu-se à integração entre ações de divulgação de como era o ciclo de vida do parasita e ocorria a infecção humana (assista vídeo a respeito logo abaixo) e de diferentes medidas destinadas a preveni-la, como adequada filtragem da água a ser consumida, tratamento químico de coleções de água doce usadas pela população e obtenção de água boa para consumo a partir de poços profundos (assista ao segundo vídeo, abaixo). Com 99% de controle já alcançado, prevê-se, para os próximos anos, a confirmação da erradicação da dracunculose. A conferir !