Performancing Metrics

Tag-Archive for » Ricardo M Souza «

Sobre a reunião “Diretoria SBN e Estudantes” no CBN/2017

A respeito da reunião, já tradicional, entre membros da Diretoria da SBN e os estudantes (a SBN Kids) presentes aos CBNs, o Presidente Ricardo M Souza esclarece o que segue, relativamente ao encontro previsto para o evento de 2017, em Vitória (ES):

Caros estudantes (graduação e pós) e jovens nematologistas, no CBN – Vitória, teremos novamente a reunião da SBN Kids – um espaço criado para vocês exporem dúvidas, pontos de vista e sugestões. A participação tem sido expressiva, desde a primeira vez em 2013, não obstante a reunião dure apenas uma horinha. Para este ano, sugiro, de certa forma, “antecipá-la”, e mudar um pouco o formato.

Proponho que, durante este quase um mês que antecede o evento, vocês conversem em seus laboratórios ou via internet sobre o que mais os preocupa. Emprego? Falta de concursos? Escassez de recursos para bolsas ou pesquisa? Problemas no seu curso/ programa de PG? E o que se pode fazer para buscar amenizar tais problemas? A ideia é trazer as questões e sugestões para o CBN, pré-pensadas e,  tanto quanto possível, discutidas.

A Diretoria da SBN participará apenas do início da SBN Kids/2017, para tirar eventuais dúvidas ou fazer alguma sugestão. O restante da reunião ficaria a cargo de vocês, para conversar, formular propostas etc. Logo após a reunião, teremos a Assembleia da SBN, quando vocês terão que eleger dois (2) representantes [estudantis] para o Conselho Consultivo da entidade.

As notícias políticas (e policiais…) da atualidade mostram algo claríssimo: tudo está relacionado, e a participação de todos é essencial para se poder pensar um futuro melhor. O futuro da nematologia brasileira está no colo dos jovens. Cabe a vocês construí-lo. Não terceirizem isto!

Um abraço. Ricardo M Souza, Presidente da SBN”

Sócios corporativos da SBN: convite a empresas !

Sócios corporativos da SBN: convite a empresas

No atual Estatuto da Sociedade Brasileira de Nematologia (SBN), aprovado durante em 2016, várias modificações foram procedidas, mas a categoria de sócios corporativos foi mantida de modo a contemplar empresas e firmas com interesses ligados à Proteção de Plantas – em especial, a Fitonematologia – e, eventualmente, à própria Produção Vegetal. Em vista disso, e pelo fato de algumas empresas, incluídos laboratórios de análises nematológicas, terem procurado a SBN buscando maior aproximação, e até filiação, a atual Diretoria Executiva da entidade vem formalizar um convite a que mantenham contato visando à construção de diálogo que possa nortear futuras relações proveitosas a ambas as partes. Os tempos atuais estão a exigir uma interação maior entre as instituições, no sentido de se poder alcançar sucesso em metas e objetivos comuns. 

Resultado de imagem para sociedade brasileira de nematologia logo Resultado de imagem para sociedade brasileira de nematologia logo

Nesse sentido, o Dr. Ricardo M. Souza, na qualidade de Presidente da SBN, coloca o e-mail presidenciadasbn@gmail.com ao dispor de empresas vinculadas ao Agronegócio, em especial daquelas com produtos e serviços envolvendo o levantamento, identificação, manejo e outras atividades ligadas aos nematoides, para que enviem mensagens apresentando propostas de criação de um projeto de interesse comum, que possam ser avaliadas e possivelmente embasar admissão futura como sócios corporativos. Ficamos no aguardo !

O Ensino da Nematologia: o esperado e necessário Raio X

Preocupado com a situação do ensino da Nematologia, em especial da Fitonematologia, nas instituições de ensino superior brasileiras e de outros países sul-americanos, o Prof. Dr. Ricardo Moreira de Souza (UENF-RJ), com equipe de colaboradores, iniciou exaustiva pesquisa a respeito do tema durante a primeira década do corrente século. O cenário era de notórias dificuldades, verificando-se problemas de naturezas distintas, entre os quais: não inclusão de aulas sobre fitonematoides em quaisquer disciplinas da área de Fitossanidade em vários cursos de graduação ligados às Ciências Agrárias; pouca ou nenhuma familiaridade de docentes com a especialidade nematológica; carência de literatura básica (em português) e de material didático para utilização pelos docentes menos experientes no preparo de aulas teóricas e práticas; sobrecarga de atividades sobre os docentes, com  obrigatoriedade de lecionamento de outras disciplinas/assuntos além da Nematologia; e muito mais.

A partir da apresentação, pela primeira vez, dos dados já compilados sobre o tema (no CBN-2011, em Brasília), o Dr. Ricardo passou a publicar resultados impressionantes e bem elucidativos a respeito do real status do ensino da Nematologia ao nível de graduação no Brasil e em alguns países vizinhos. Clique sobre as duas imagens acima para acessar tais pesquisas. Estudo mais recente dentro dessa linha, agora relativo à Nematologia no âmbito da pós-graduação brasileira, vem de ser publicado na revista Nematoda, também com subsídios relevantes, merecedores de atenta leitura e reflexão. Clique na imagem abaixo, para acessar o PDF desse trabalho !

Várias ações têm sido implantadas nos últimos anos pela SBN visando à gradativa correção de algumas dessas dificuldades, como o fornecimento de kits didáticos (2013-15) e as realizações de Encontros Regionais e Cursos de Atualização a Docentes (2014-17) em diversas regiões do País, objetivando maior aproximação e/ou inserção dos docentes “nematológicos” em relação à entidade e à comunidade nematológica como um todo. Em 2016, projeto que visa estimular maior produção e edição de livros nematológicos redigidos em português foi lançado, já com três obras disponibilizadas (duas delas, gratuitas) e outras com lançamento próximo ou em fase de preparação. Embora não restritos a tais docentes, mas também voltados a eles, iniciou-se, há pouco, ciclo de Cursos de Redação Científica, destinados ao aperfeiçoamento na elaboração e publicação de suas pesquisas.

Portanto, o exame desses três trabalhos de Souza e colaboradores – uma acurada e autêntica radiografia do ensino nematológico no Brasil e América do Sul – deve constituir tarefa inadiável, aos nossos estudantes/kids e profissionais, pois a responsabilidade por melhoria ampla e decisiva no assunto não deve, nem pode, ser apenas da Diretoria da SBN, ou caber a uns poucos abnegados, mas de todos os adeptos da especialidade! Vamos lá!